Pontualização sobre a lógica escolástica e o psicologismo

“Quando foram publicadas as minhas “Investigações Lógicas” — penso que é uma obra bem conhecida — os meus adversários, que se julgavam modernos, atiraram-me na minha cara: mas não passa de uma nova Escolástica! Eu repliquei: não conheço a Escolástica. Mas se em seus escritos tudo isso é mencionado, tanto melhor para a Escolástica!” — Edith Stein (O que é filosofia? Um diálogo entre Edmund Husserl e Tomás de Aquino).

Prolegômenos ao problema.

Conforme os tomistas o objeto formal da lógica são os entes de razão ou segundas intenções do intelecto; para Aureolo e os nominalistas, são as vozes significativas; para Rúbio, Suárez e Masio, são as três operações mentais enquanto dirigidas pelo hábito artificial, etc.; os escolásticos, ademais, convém uniformemente na afirmação de que o objeto material da lógica são as três operações do intelecto, a saber: a simples apreensão, o juízo e o raciocínio.

Husserl e os escolásticos: psicologismo, para que te quero?

Nascido em 1996. Estudante de Psicologia pela Faculdade da Amazônia — FAMA. Tomista e apreciador do escolasticismo de modo geral.

Nascido em 1996. Estudante de Psicologia pela Faculdade da Amazônia — FAMA. Tomista e apreciador do escolasticismo de modo geral.